Uso de cheque ainda é grande no comércio


Com o fim da CMPF, é mais barato para o lojista receber em cheque do que no cartão de debito ou crédito, diz Claudenir Andrade, gerente de integração e desenvolvimento da Urmet Daruma. “Temos observado um movimento muito alto de incentivo ao uso do cheque, principalmente em supermercados de médio porte, já que este meio de pagamento é mais flexível e barato para o lojista” observa

De acordo com o executivo, entre os 10 maiores supermercados do ranking deste ano da Abras – Associação Brasileira de Supermercado, cinco deles utilizam a impressora FS2100. O motivo, segundo Andrade são algumas características embutidas nesse produto, como sua bobina de 120 metros, com compartimento ao lado para que o operador possa trocá-la rapidamente, evitando o aumento de filas no caixa.

A velocidade é outro atributo importante do equipamento. “A versão 1.04 da FS2100 leva três segundos para gerar um cupom fiscal com 10 itens vendidos, que é o ticket médio de um caixa rápido de supermercado”, diz Andrade.

O cheque é outro diferencial. A FS2100 imprime o cheque em apenas quatro “passadas” do mecanismo. “Nas nossas concorrentes, o cheque entra em posição vertical, fazendo com que o mecanismo de impressão trabalhe mais vezes pra imprimir o cheque”, assinala o gerente.

Outro lado – Já a gerente de automação comercial da Perto Periféricos, Margô Neff, salienta que houve uma diminuição em torno de 15% nas vendas desse tipo de equipamento. “Porem, o cheque ainda representa uma importante ferramenta de crédito para o pequeno varejista, que tem dificuldade de suportar as altas taxas dos cartões”, diz.

A impressora Pertochek é a representante da empresa neste segmento de mercado. “É a mais completa, pois reconhece automaticamente todos os dados do documento, armazena-os em forma de relatórios e imprime com tecnologia jato de tinta”, ressalta Margô, acrescentando que por este motivo “a Perto já vendeu mais de 70 mil unidades deste produto”.

Outros recursos da Pertochek são a consulta aos principais provedores de informações de crédito do País, o processamento de cartões de crédito e de débito bancário, e a possibilidade de realizar operações financeiras.

Há outra concorrente de peso neste mercado. É a impressora duas estações MP-7000, da Bematech, que, além de fazer a leitura automática do código CMC-7 dos cheques, imprime e endossa tais cheques em uma única inserção e faz autenticação de documentos. Também imprime cupom fiscal em alta performance, logos e códigos de barra.

“Este equipamento está totalmente alinhado com a atual legislação fiscal brasileira e foi construído para manter compatibilidade com a maioria dos nossos parceiros de softwares”, ressalta Daniele Yokoyama, gerente de produto impressoras da Bematech. A MP-7000 vem com memória MFD de 1 GB, que dispensa armazenamento físico de segunda via da bobina fiscal. É acompanhada também de memória fiscal com capacidade para mais de 3.350 reduções e interface via porta USB.

A executiva observa que antigamente a tecnologia disponível no mercado para impressoras, principalmente as fiscais, era mais lenta, utilizava fita entintada, gastava mais papel e precisava de espaço de armazenamento da segunda via do cupom. “Hoje temos uma tecnologia mais limpa, com armazenamento de dados em uma memória que facilita o acesso e oferece oportunidade a pequenos varejos de se iniciarem no processo de gestão de seu PDV”, diz Daniele.

Fonte: Diário do Comércio 29/05/2008

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s