Como ajudar o Sr. Benedito?


Temos um representante comercial chamado Sr. Benedito. Ele tem 64 anos e trabalhou praticamente a vida inteira com Automação Comercial. Afinal de contas, os PDVs (Ponto de Venda) mais comuns há 20, 30 anos atrás eram as caixas registradoras e, desde esta época, o Sr. Benedito já estava ajudando a desenvolver o nosso mercado.

O Sr. Benedito é um vendedor nato. Nasceu para atender bem seus clientes (ou como ele mesmo gosta de dizer, fregueses). Quando perguntam com o que ele trabalha, faz questão de dizer que trabalha no comércio.

Para o Sr. Benedito o escritório é o carro, a mesa é o painel, o teclado é o volante e reunião se faz em pé, na porta da loja do cliente. Aceite do cliente documentando proposta? Contrato? Não precisa. Este cliente é meu freguês, ele paga direito. É honesto. E paga mesmo. O crédito avalizado pelo Sr. Benedito é seguro. Se o cliente é mal pagador, não é freguês.

O Sr. Benedito faz parte de um tipo de vendedor que não se forma mais no nosso mercado. Vendedor que levanta cedo todo dia e vai para a rua, com a obrigação de visitar os seus clientes, independentemente se há cotação em aberto ou não ou perspectiva de projeto em curto prazo. Ele vai lá atender o cara, bater papo, falar sobre outras coisas. É vendedor que faz amigos.

Iguais ao Sr. Benedito existem vários espalhados pelas pequenas cidades do Brasil e nas periferias das grandes cidades. A questão é: como nós, pertencentes a era da Tecnologia da Automação, podemos ajudá-lo?

Admitindo que eles não farão a proposta, nem contrato, relatório de visita ou sequer alimentar software interno de cadastro de oportunidades, estes vendedores devem ser apenas motivados. Motivá-los significa uma porta de entrada nas suas carteiras de clientes que nunca conseguiríamos ter, pois os clientes do Sr. Benedito pertencem ao universo dele: gostam de ser tratados como fregueses.

Agora, um cuidado deve ser tomado: nunca atenda mal a um cliente do Sr. Benedito. Nunca mais você verá um da carteira dele em sua empresa. Pior: este mal atendido falará para outros 20, 30, 40 clientes sobre você. E nem por isso deixará de comprar do Sr. Benedito. Deixará de comprar só de você.

Vendedores assim são fundamentais para o nosso mercado. Exercem influência que não conseguimos. Não fomos treinados para isso. Não queremos mais ser o vendedor, o técnico, o amigo, o entregador de equipamentos e suprimentos. Já eles, não conseguem imaginar um cliente satisfeito se não for assim.

Sair de vez em quando de dentro do escritório e ir camelar na rua com o Sr. Benedito faz bem. Aprendemos muito, coisa que nenhum curso de vendas mostra.

Está aberta a caça ao “Sr. Benedito”!

3 comentários sobre “Como ajudar o Sr. Benedito?

    • Obrigado Jorge. Fico muito feliz que tenha gostado. Reconhecer o trabalho destes profissionais é uma obrigação nossa, que pertencemos a uma nova geração de vendedores.

  1. Obrigado Jorge. Fico muito feliz que tenha gostado. Reconhecer o trabalho destes profissionais é uma obrigação nossa, que pertencemos a uma classe mais jovem.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s