Não Compensa mais desenvolver Software para PDV


Todos os dias, somos surpreendidos com novas siglas que devemos tomar conhecimento para manter nossos softwares homologados dentro das exigências do Fisco: ECF, TEF, PAF-ECF, S@T, etc. Todas estas alterações, significativas e com grande impacto na forma como o varejista deve ver e operar tecnologia e TA, trazem também uma profissionalização para as empresas do segmento de TA, sejam elas software-houses ou revendedoras.

O esforço é grande para quem desenvolve, especialmente de 2006 para cá, quando TEF e ECF deixaram de ser as únicas preocupações com que o PDV deveria se preocupar em tratar. Em tempo: PDV significa Ponto de Venda. Os softwares de PDV nada mais são do que os aplicativos que rodam em caixas de lojas, como supermercados e padarias. São também conhecidos como aplicativos de frente de caixa e comandam, dentre outras coisas, a emissão do cupom fiscal e as transações de cartão em lojas informatizadas.

Diante das fortes exigências vigentes digo: não compensa mais desenvolver software para PDV. O melhor mesmo é unir-se a alguma empresa forte, com experiência, dinheiro e mão de obra qualificada para manter este aplicativo homologado e dar condições e tranquilidade para o revendedor trabalhar.

Penso antes de mais nada que há espaço para todos ganharem dinheiro. Uma software-house encorpada e com um aplicativo estável traz o melhor dos mundos para uma revenda de TA, que além de Software trabalha com hardware e Assistência técnica também.

Pra que se preocupar com Homologações, prazos e recursos se você, revendedor, pode se preocupar exclusivamente com a satisfação do seu cliente? E tem mais: não vejo muito interesse do FISCO em manter homologado uma grande quantidade de Softwares de PDV. É difícil para gerenciar e mais ainda para fiscalizar.

Para a software-house, o trabalho através de revendas representa uma ótima oportunidade para se capilarizar e atingir mercados inexplorados anteriormente, abrindo mão da venda de hardware que algumas fazem de forma amadora hoje, por não possuírem em seu DNA a capacidade que um revendedor / integrador de TA possui para atendimento ao cliente final.

Por isso, vejo para o futuro a necessidade de cada um respeitar o seu quadrado: Software-houses deverão focar exclusivamente no desenvolvimento de Software e as Revendas exlusivamente em empacotar serviços para o cliente final. Quem ganha com isso? Todos, inclusive o cliente final.

Um comentário sobre “Não Compensa mais desenvolver Software para PDV

  1. Mesmo assim, a procura por um PDV é muito grande. E acredito não deixar de existir.

    Se o seu PDV contempla uma solução TEF, melhor ainda. O cliente optará por sua solução no lugar de um PDV que não o implementa.

    Com os avanços tecnológicos, o pagamento com cartão vem sendo prioridade. Hoje em dia, a metade das pessoas do mundo fazem suas compras por meio de cartão de crédito e não justifica ter/comprar um PDV que não contempla essa funcionalidade!

    O esforço é grande para quem desenvolve? SIM. Porém pense bem, em qual situação o esforço não é grande?

    Parabéns pelo BLOG! Não deixe de continuar postando!

    Abraços!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s